RSS

Capítulo Oito – A Visão de um Mundo Novo

25 out

CAPÍTULO OITO

A Visão de um Mundo Novo

Tudo é muito grande em Agharta, passamos por uma estrada de pedra que nos levou até a entrada da cidade, o arco central parece tocar o céu acredito que a expressão aranha céu veio deste lugar. Algumas vezes no alto destas construções tenho a impressão que se eu erguer a minha mão posso tocar nas nuvens, mas elas estão muito distantes é apenas uma perspectiva falsa gerada pelo meu cérebro.

Shamballah superou todas as minhas expectativas, além de tudo ser monstruosamente grande a cidade fica no alto de uma montanha, todas as outras construções estão abaixo do palácio central.

Em cada montanha esta um mestre guia que comanda os demais de acordo com as regras locais.

Todos sabem o seu papel nesta sociedade, todos trabalham e neste lugar que só nasce mulher, a cada dez anos terrestres um casal é escolhido para iniciar uma família.

Começamos a subir uma escada que se lembram a da China com milhares de degraus.

No caminho visualizamos grandes estátuas de pessoas leões dragões e esfinges iguais a de Guizé.

Séréti começa a admirar uma estátua de um grande deus e de repente ela ganha vida e nos pergunta o que queremos e por que estamos aqui, a imensa estátua que ganha vida reconhece que Luke não é dali e diz que sua permanência neste local se dará sobre uma condição.

A estátua transforma Séréti em uma estátua de pedra e a condição para libertá-lo será:

- Luke, você entrará como humano na cidade, mas terá que deixá-la como quem realmente é. A estátua concede passagem a Luke e Leona que seguem em direção ao castelo agora sem a companhia de Séréti que está petrificado.

Séréti foi transformado em uma estátua de pedra e Luke esta com muito medo do que ele pode encontrar pela frente.

Qual será a recepção do Rei do mundo? Ele irá gostar de nós ou vamos todos morrer aqui? – pensa ele enquanto caminha ao lado de Leona que parece não manifestar nenhuma emoção.

Que garantias posso esperar deste lugar, até a alguns dias atrás eu era apenas um menino aprisionado em uma casamata e agora estou prestes a conhecer o rei do mundo. – diz em voz baixa enquanto caminham até a estrada do palácio.

Leona percebe sua angustia e comenta: Como assim? Há alguns dias atrás eu era apenas um menino? O Rei do mundo não conversa com um humano a mais de mil anos. Como espera que ele o receba se pensa ser apenas um menino?

- Luke para por alguns estantes e lembra-se da voz de sua mãe na caverna dizendo a ele para ser forte.

Seu coração começa a bater mais lentamente e então sente um alívio no peito e a sensação de um maternal e aconchedor abraço.

- Não temo nada e nem ninguém. – diz ele de peito estufado e de fé renovada. A minha vida foi um teste desde o início.

A minha prisão serviu para mostrar-me o quanto as pessoas podem ser más. E a minha fuga mostrou–me o quanto elas também podem ser boas e gentis e ajudar-se mutuamente.

Existem pessoas boas e pessoas ruins, o equilíbrio entre as forças do bem e do mal determina as gerações futuras e seu desenvolvimento.

- Que bom que pensa assim. – diz Leona, feliz pelo comentário do novo amigo. Ele esta bem, foi transformado em pedra para a sua própria segurança.

- Mas não podemos deixá-lo aqui, assim. – fala Luke, querendo de alguma maneira resolver esta situação.

- Luke, a você foi dada a honra de falar com o Rei do mundo, você irá entrar no palácio do Rei e isso deve ser celebrado. Não tema Séréti esta em segurança. Agora vamos, pois não podemos demorar muito.

Mesmo depois de todo este tempo, Luke não se dava conta que nunca foi apenas um menino, mas as circunstâncias o fizeram amadurecer.

E agora sabendo da sua missão na Terra, parte com Leona para o interior do palácio.

Logo na entrada se deparam com dois dragões alados que guardam a entrada do palácio. De imediato um deles reconhece Luke por um espectro de luz azul que ele passa a emitir. No mesmo momento ambos lhe cedem passagem.

Leona ao tentar passar pelos guardiões e contida por uma parede de fogo que os dragões emanam e impossibilitando a sua entrada.

- VEJO VOCÊ DEPOIS. – grita Leona sem ter certeza se o amigo escutou.

Luke agora se vê sozinho para a missão mais difícil da sua vida, ele esta firme e sabe que correrá todos os riscos possíveis para trazer de volta seu amigo Séréti de volta a vida.

De repente um grande portal de luz se abre e dele uma figura em estado de luz se materializa a nossa frente.

- Luke… entre. – diz ele. Estamos esperando você há milênios.

Meu Deus. – pensa Luke. Como podem estar por mais de mil anos esperando que eu aparecesse aqui no interior da Terra, se tenho apenas onze anos de idade.

Sem perceber, eu não estava falando com ele verbalmente, mas sim telepaticamente e ao perceber a minha aflição responde:

- Entendo você! Você nunca foi uma criança humana, não recebeu a educação de uma criança e nunca teve interação com outras crianças. E sim, a última vez que nos vimos foi há mil anos, mas claro que você tinha outra aparência.

Sou conduzido para o interior do palácio e como em um piscar de olhos estou envolto a dezenas de pessoas de todo o tipo de aparência que estão sentados em uma gigantesca mesa retangular que atravessa o salão de um lado a outro.

- SENHORES MESTRES…

- Hoje uma vez mais nosso comitê tem a honra de receber o nosso representante de Arcturus e futuro Rei do mundo, o príncipe Kaitos.

Luke fica muito confuso com tudo, ainda mais pela última afirmação do mestre.

Ele continua…

- Mil anos se passaram e nosso guardião galáctico reencontra o seu caminho para guiarmos ao nosso novo ciclo solar.

Neste instante todos se levantam e com a palma da mão direita erguida em direção de Luke e emanam uma luz púrpura que envolve Luke em um globo de energia e então todas as encarnações passadas de Luke se manifestam.

Eles saem um a um no total de quinze pessoas, sendo dez homens e cinco mulheres. Todos sentam- se a sua frente e com um olhar de admiração aguardam o início das apresentações.

Luke é o último a sair, de cara ele percebe que algumas das pessoas são mais velhas do que outras, mas em sua maioria são jovens e belos.

O mestre cerimonial anuncia todos os novos seres presentes começando da esquerda para a direita.

- Luana, Cristal, Charles, Jade, Maria, Brian, Jack, Pérola, Peter, August, Gabriel, Ariel, Jorge, David e Roger.

Então o mestre concede a Luke o direito de fazer uma pergunta direcionada a qualquer um dos presentes.

Luke hesita por alguns instantes, ele os observa atentamente e então finalmente pergunta.

- Por que o Planeta Terra?

Author

JJ Sobrinho, was born in Paraná Umuarama. He currently works as a Business Consultant in the area of Information Technology.I love reading and writing about quantum physics and parallel universes. I write articles for newspapers and magazines. He graduated in Business Administration and holds a MBA in Computer Science. He has worked as Executive Director MyOffer Brazil Ltda Consultant and Manager of Information Technology at the Institute ISULPAR-Coastal Paraná Curitiba PR
Education:
Faculty Dr. José Correia Leocádio Bachelor of Business Administration
University of Paraná Tuiuti Bachelor of Computer Science

This biography was provided by the author or their representative.

Books by JJ Sobrinho (See all books)

Pesquisar todo o texto deste livro



Pesquisar todo o texto de nossos livros
About these ads
 
Deixe um comentário

Publicado por em outubro 25, 2011 em Ebook

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: